Barra de Pesquisa

sábado, 15 de setembro de 2018

Pesquisa que dava vantagem a Flávio Dino no Maranhao era falsa e Instituto reconheceu o erro

A Coligação “Maranhão quer Mais”, da candidata Roseana Sarney (MDB) denunciou à Procuradoria Regional Eleitoral do Maranhão (PRE) a suposta relação entre o Governo do Estado e o instituto de pesquisa Econométrica.
De acordo com a denúncia um dos fundadores do instituto, o empresário Jorge Andrés Zubicueta Goic, que é natural do Chile, repassou a administração da Econométrica para o irmão, Sérgio Zibicueta e passou a ter duas nomeações em cargo comissionado na gestão Flávio Dino (PCdoB).
Jorge Zibicueta é assessor especial de Monitoramento e Avaliações de Políticas Públicas, Símbolo Isolado (ISO) da Casa Civil e Conselheiro de Gestão Estratégica das Políticas Públicas do Governo, o conhecido Conselhão.
Na peça, a coligação lembra que a Econométrica recentemente acabou envolvido em polêmica na divulgação de uma pesquisa eleitoral (registrada com o número MA – 08877/2018) que apontou para larga vantagem de Flávio Dino, mas os dados tiveram de ser retirados do ar pela TV Guará, que havia contratado o levantamento.
Isso porque a pesquisa havia sido assinada pela professora Celene Raposo Aquino, técnica em estatística, que morreu 19 dias antes do registro da pesquisa (que ocorreu dia 26 de agosto) ter sido efetuado junto à Justiça Eleitoral.
Celene Raposo faria 81 anos de idade no próximo dia 14 de novembro, no entanto, nos últimos cinco meses de vida ela esteve internada em um leito de UTI de um hospital particular da capital em decorrência de problemas de saúde devido a Mal de Parkinson. Ela foi diretora do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público do Estado e, durante algum tempo, chancelou pesquisas da Econométrica.
Após o escândalo o Instituto Econométrica reconheceu um suposto “equívoco” para TV Guará, que emitiu nota afirmando que retiraria do ar todos os dados do levantamento, que agora estão sob suspeita.

Fonte: imigrante.com