Barra de Pesquisa

domingo, 24 de abril de 2016

Velório e enterro - A morte do jornalista e empresário Jacir Moraes

O velório
O Jornalista faleceu na sexta-feira(22) em decorrência de complicações provocadas pela diabetes e hipertensão, o enterro foi no Cemitério Pax União, Paço do Lumiar-MA

Amigos e familiares acompanharam o velório do jornalista Jacir Moares, falecido na noite de sexta-feira, 22, em São Luís, o corpo foi velado na Pax União (Centro). O cortejo fúnebre saiu às 15h e o enterro foi no Cemitério Pax União (Paço do Lumiar). O jornalista, de 70 anos, morreu em decorrência de complicações provocadas pela diabetes e hipertensão. Ele deixa cinco filhos e nove netos.

Jacir Moraes
“Era um ícone do jornalismo maranhense e ocupou diferentes cargos públicos ao longo de sua vida. Era um jornalista muito bem informado e muito atuante, em especial nos bastidores”, destacou a ex-companheira, Fátima Moraes.

Jacir Moraes fundou, em 1984, o Jornal O Debate. “Jacir Moraes foi um jornalista de muito conteúdo, irreverente, que soube embarcar seu nome no jornalismo maranhense com seriedade”, disse o jornalista Batista Matos.

Além de atuar no jornalismo impresso, ocupou diversos cargos na esfera pública como o de secretário de Comunicação da Assembleia Legislativa do Maranhão e de presidente da Associação Brasileira de Tecnologia Gráfica (Abgraf – Regional Maranhão). Também trabalhou na Rádio Timbira e foi editor do Diário Oficial do Estado.

De acordo com Fátima Moraes há algum tempo ele já estava com a saúde debilitada por conta de complicações advindas da diabetes e do Alzheimer. 

“O Jacir estava com dificuldades de enxergar e já tinha sofrido AVC (Acidente Vascular Cerebral), entre outros problemas”, disse Fátima Moraes.


O enterro de Jacir Moraes: 

Ele pediu, e os familiares atenderam, a execução da Música Asa Branca na hora do sepultamento. Acompanhe na sanfona do seu Raimundinho com interpretação de Jailson Cunha.



Video e informações: Marcial Lima