Barra de Pesquisa

quinta-feira, 7 de abril de 2016

Carteiras de habilitação voltam a ser emitidas sem a exigência do exame toxicológico

Imagem ilustrativa
Mil motoristas de ônibus e caminhões já conseguiram obter ou renovar a Carteira Nacional de Habilitação, em todo o estado, após a suspensão da exigência do exame toxicológico no Maranhão, determinada em caráter liminar pela Justiça Federal.

O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) foi intimado, no dia 17 de março, a cumprir a decisão da Justiça que suspendeu a exigência do exame toxicológico no Maranhão, porém somente na quinta-feira, dia 31, o Denatran cumpriu efetivamente a decisão, desbloqueando o sistema Renach e liberando os processos para a emissão de CNHs nas categorias C, D e E, provisoriamente, sem a obrigatoriedade do exame.

Para a diretora Geral do Detran-MA, Larissa Abdalla, a regularização dos processos no Maranhão, após a suspensão da obrigatoriedade do exame toxicológico, foi uma importante vitória e atenua os muitos problemas causados aos motoristas profissionais desde a adoção da exigência. “Apesar da suspensão da exigência do exame toxicológico ser ainda em caráter provisório, com o desbloqueio do Renach, os motoristas maranhenses agora podem procurar o Detran-MA para renovar ou tirar a CNH, sem se preocupar com o alto custo cobrado pelo exame e com a demora no resultado ”, destaca Larissa Abdalla.

No Maranhão quase 1.000 condutores estavam com os processos de obtenção e renovação de CNHs suspensos, por conta da exigência do exame toxicológico de larga janela de detecção. Desde o início deste ano, o exame passou a ser obrigatório em todo o país nos processos para obtenção ou renovação da CNH para motoristas de ônibus e caminhões.

O inspetor de segurança Marcos Rogério Alves, portador de CNH, categoria D, foi na segunda-feira, dia 04, à sede do Detran-MA, em São Luís, para renovar a carteira. Para ele, a iniciativa do órgão em pedir à Justiça o fim da exigência do exame toxicológico no estado poupou os motoristas de inúmeros problemas. “Achei a exigência do exame, além de cara, absurda.

Acredito que esse exame deva ser feito em motoristas no momento em que são parados na fiscalização e não ao renovar a habilitação. 

Ao solicitar a suspensão da exigência, o Detran-MA ajudou quem precisa da habilitação para trabalhar”, acentuou Marcos. 

Fonte: Diário de Balsas