Barra de Pesquisa

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Justiça liberta prefeito de Santa Inês e determina retorno imediato ao cargo

Decidido - Prefeito foi absorvido
Por 2 votos a 1, os desembargadores do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ-MA) decidiram pela liberdade de Ribamar Alves. A Justiça teria determinado, ainda, o retorno imediato de Alves à prefeitura de Santa Inês (MA). (Aguardamos mais informações). 

Prisão

Ribamar Alves foi preso em flagrante pelo estupro de uma jovem de 18 anos. Segundo a polícia, a vítima é missionária da Igreja Adventista e trabalha como colportora (jovens que vendem livros para pagar os estudos).

Segundo o delegado Rafael Reis, a vítima afirmou, em depoimento, que o crime aconteceu entre 21h e 23h do dia 28 de janeiro desse ano. O prefeito teria convidado a jovem para a casa dele afirmando que compraria os livros que estavam à venda.

Após chegar à casa, ela aceitou sair no carro dele e conta que o prefeito teria entrado em um motel sem se identificar na entrada, onde a levou para o quarto e praticou o crime. A vítima afirmou que deixou claro que não queria fazer sexo e chorou durante todo o ato. 

Ribamar Alves está preso no Centro de Detenção Provisária (CDP), no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís, desde o dia 29 de janeiro, quando foi preso e autuado em flagrante por suposto estrupo.

Pelo cargo que ocupa, o prefeito tem prerrogativa de foro privilegiado, respondendo diretamente ao Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ-MA).

A principal estratégia dos advogados do prefeito seria protocolar vários pedidos de Habeas Corpus e contar com a sorte de caírem nas mãos de um desembargador mais flexível.