Barra de Pesquisa

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Prefeitura de Paulo Ramos realiza dia D+1 de combate à dengue e à febre chikungunya



A união faz a força
Na tarde desta quinta-feira, 14, uma equipe de agentes de saúde, agentes vetores da vigilância, técnicos de enfermagem, enfermeiros, agentes de endemias da Prefeitura de Paulo Ramos, percorreram as ruas das Vila Gomes 1,2,3 e 4, realizando o trabalho (casa a casa) de prevenção, conscientização, orientação sobre os cuidados que devem ser tomados e as principais formas de prevenir o mosquito da dengue. As vilas foram escolhidas para o dia “d” por causa do número alarmante de focos do mosquito Aedes Aegypti em todas as suas fases naquela região. 
 
Agentes em ação
A ação contou com a presença da Gestora de Saúde da Regional de Bacabal, Maria Gorete Sousa e algumas auxiliares e do Secretário de Saúde do município, Marcos que já é conhecido como um dos mais atuantes no estado devido as inúmeras ações com êxito realizadas em Paulo Ramos sobre o seu comando.

Trata-se de uma Campanha Nacional denominada Dia D+1, que atua contra à dengue e a febre Chikungunya. A campanha tem como objetivo sensibilizar a população quanto à prevenção e a importância da participação de todos no combate à doença.

Á procura dos mosquito
O prefeito Dr. Tanclêdo Lima Araújo que sempre oferece o suporte necessário às equipes em todas as ações ou campanhas realizadas no município, afirma que é uma guerra onde a população sairá vitoriosa se cada cidadão ajudar no combate e elogiou o trabalho dos profissionais da saúde;
“para combater a dengue cada um tem que fazer a sua parte. E o trabalho que vocês realizam é de extrema importância, pois trata de educação e conscientização da população. É esse o caminho para o combate à dengue”, disse.

A larva do mosquito
A Prefeitura intensificou também a campanha contra a dengue em diversos bairros da cidade e na zona rural através de informações levadas por meio de carros de som, televisão e rádios local. Equipes formadas por agentes da saúde realizam trabalho (casa a casa) de prevenção, conscientização, orientação e os agentes vetores da vigilância estão fazendo o controle da doença com o bloqueio de controle de criadouros, a implantação de armadilhas, distribuição de tela, delimitação de área, além da fiscalização e vistoria em pontos estratégicos, entre outras providências.

Por: Flávio Rocha