Barra de Pesquisa

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Justiça Eleitoral cassa mandato do governador de Roraima

Por 3 votos a 2, juízes do TRE entenderam ter havido crime eleitoral na campanha de Chico Rodrigues (PSB), em 2010

Boa Vista - O Tribunal Regional Eleitoral de Roraima (TRE-RR), cassou, na noite dessa quarta-feira, 5, o mandato do governador Chico Rodrigues (PSB), a menos de dois meses do fim do mandato, sob acusação de crime eleitoral.

Por 3 votos a 2, os juízes entenderam que na campanha de 2010, a chapa que tinha Rodrigues como vice e que venceu as eleições daquele ano, realizou gastos ilícitos.

Conforme a representação feita pela coligação 'Pra Roraima voltar a ser feliz' e pelo Partido Progressista (PP), houve contratação de pessoal de forma irregular e o pagamento foi efetuado em espécie. Mais da metade do valor gasto na campanha foi sacado na boca do caixa, por meio de cheques emitidos em favor dos candidatos. Além disso, houve aquisição e distribuição de camisetas amarelas além do permitido.

A juíza federal Clara Mota, relatora do processo, disse que a cassação surtirá efeito apenas após o julgamento dos embargos de declaração, caso sejam protocolados. "Iremos aguardar a próxima etapa que será o julgamento dos embargos de declaração, se houver. Nessa ocasião, poderá ser definida ainda a forma de preencher o cargo de governador que poderá ser por eleições indiretas ou pela posse do segundo colocado nas eleições de 2010, Neudo Campos e a então candidata a vice, Marília Pinto, como foi decidido pelo Pleno", disse a juíza.

O ex-governador José de Anchieta Júnior (PSDB) foi excluído do processo, em razão de sua renúncia no dia 4 de abril deste ano, para concorrer ao cargo de senador.

Em nota, Chico Rodrigues disse que 'estranhou' a decisão do Tribunal a poucos dias para o fim do mandato, o que, segundo ele, "pode gerar instabilidade na população". Ele informou que vai recorrer da decisão no cargo e que as atividades do governo seguem normalmente.
 
 
 
LOIDE GOMES, ESPECIAL PARA O ESTADO
O ESTADO DE S. PAULO