Barra de Pesquisa

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Traficante mata cinco pessoas por vingança no interior do Piauí

chacina1 CHIÉ assassinoO traficante de drogas e assaltante de bancos Clemilton Vieira Matias, o “Chié”, de 43 anos, assassinou cinco pessoas – entre elas, sua própria mulher –, ontem (30), no povoado Palmeira de Cima, no município piauiense de São Miguel do Tapuio (a 190 km de Teresina, vizinho ao Ceará).
O traficante e assaltante ‘Chié’ matou 5 por vingança
As vítimas faziam parte de um grupo que queria expulsar o criminoso do povoado e já haviam sido juradas de morte por “Chié”.
Os crimes aconteceram no começo da tarde de ontem. Após cometer os assassinatos, “Chié” fugiu de moto para o Ceará. A moto foi encontrada por policiais militares, na manhã de hoje (31), na localidade Buritizinho, perto da divisa entre os dois estados.
As polícias dos municípios piauienses de Campo Maior, São Miguel do Tapuio, Novo Oriente e homens do Bope (Batalhão de Operações Especiais) participam da busca ao autor da chacina.
Os corpos das cinco vítimas foram liberados hoje pelo Instituto Médico Legal (IML) de Teresina, para serem sepultados no povoado Palmeira de Cima, onde todos moravam.
Segundo informações, o acusado anunciava que tinha uma lista de 14 pessoas para matar no povoado – todos integrantes do movimento que queria expulsá-lo do lugar.
“Chié” cometeu os crimes com uma pistola e um revólver calibre 38.
Juvêncio que liderou abaixo assinado para expulsar traficanteJuvêncio da Silva liderou abaixo-assinado para expulsar ‘Chié’
Foram assassinados a agente comunitária de Saúde Maria Moreira (mulher de “Chié”, morta em casa com um tiro na cabeça, ao tentar impedir a ação do matador), o professor de informática Roberto Brito Bastos (que levou dois tiros, um na cabeça e outro na barriga), o comerciante Claudio Barros de Oliveira, o estudante Sidney Tavares da Silva (conhecido como “Cidim”) e o líder comunitário Juvêncio da Silva (avô de “Cidim”, que liderou um abaixo-assassinado para expulsar “Chié” do povoado).
A esposa de Juvêncio, Zoé da Silva Batista, disse que “Chié” entrou na sua casa, na hora do almoço, e baleou o líder comunitário. Depois, arrastou o corpo para a sala e ainda aplicou um golpe de faca em sua barriga.
“Eu ainda tentei jogar alguma coisa contra ele para evitar o assassinado do meu marido, mas ele me empurrou e cortou meu dedo com uma faca”, afirmou Zoé, chorando muito.
No povoado Palmeira de Cima, os moradores estão alarmados, uma vez que o assassino prometeu voltar para matar mais gente.

 (Com portais)