Barra de Pesquisa

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Homem é preso em Santa Inês acusado de oferecer aumento de votos nas urnas eletrônicas

Na conversa com a assessora, ele garantia que a fraude seria executada por funcionários da Atlântica, empresa responsável pelo transporte de urnas eletrônicas no Maranhão

Uma pessoa que se apresentava como funcionário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foi presa nesta quinta-feira (2/out) na cidade de Santa Inês oferecendo aumento de votos. 

Djalma Braga Coelho foi preso em flagrante pela Polícia Civil ao oferecer a possibilidade de aumentar de 15% a 20% a votação de uma candidata.

A tentativa de crime eleitoral foi desbaratada a partir de denúncia à Central Antifraude, instalada pela Coligação Todos Pelo Maranhão. A central funciona 24 horas por dia no telefone (98) 3235-6565.

Uma assessora da candidata Luana Alves denunciou à Central Antifraude que recebeu uma mensagem eletrônica de Djalma oferecendo uma possibilidade de garantir aumento na votação. Ele pedia, em troca, R$ 40 mil à vista e R$ 15 mil depois da eleição, além de 10 contratos de R$ 2 mil cada.

“Repassamos a denúncia ao Ministério Público, que acionou a Polícia Civil”, explica Egberto Magno, da Central Antifraude. A Polícia Civil combinou com a assessora de marcar uma reunião com o suspeito.
 
 A reunião foi gravada e Djalma, preso em flagrante. Na conversa com a assessora, ele garantia que a fraude seria executada por funcionários da Atlântica, empresa responsável pelo transporte de urnas eletrônicas no Maranhão, e poderia fazer a alteração nas cidades de Codó, Imperatriz, Santa Inês e São Luís. Outra pessoa que estava na companhia de Djalma, também foi presa. Ambos estão depondo no momento.
 
 
 
Por Gilberto Lima