Barra de Pesquisa

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Sobe o preço do Botijão de gás apartir de hoje em todo Maranhão

Segundo o presidente do Sindicato dos Revendedores de Gás Liquefeito de Petróleo do Maranhão (Sinregama), Lourivan Dias, o preço do gás aumenta em média, 12%, a partir desta quinta-feira (18/09), em todo o Maranhão.

O aumento entra em vigor a partir de hoje e muitos revendedores já refizeram os seus custos para chegarem ao novo preço. Atualmente, o botijão de 13 kg, que é o mais usado, é vendido em média, por R$ 45 a R$ 47 e passará a ser comercializado por R$ 52 a R$ 55.


De acordo com o presidente, o aumento refere-se ao dissídio coletivo entre as distribuidoras. “Esse dissídio acontece todos os meses de setembro e neste ano, ficou decidido um aumento de 12% a partir de hoje em todo os estado”, disse Lourivan Dias.


O preço do botijão de gás é livre e varia de acordo com as despesas das distribuidoras, que entregam aos vendedores, e dos revendedores, que comercializam para os consumidores finais.


Muitos consumidores chegam a se deparar em alguns pontos da cidade com valores de botijão de gás diferenciados. O presidente afirma que estes vendedores agem de forma desleal com as distribuidoras.


“Os vendedores de gás nos postos de combustíveis não têm investimento, não contratam funcionários para trabalhar com o produto e ficam vulneráveis, não fazem entrega, não tem carro para trabalhar com o produto, e isso contribui para que ele diminua o valor do gás, agindo de forma desleal para com todos os revendedores”, disse o presidente.


De acordo com o sindicato, as distribuidoras já empregaram mais de 2 mil pessoas, contém 300 caminhões para entrega do produto no estado e já contam com mais 700 revendedores autorizados pela Agência Nacional de Petróleo (ANP). As revendedoras de gás devem observar as normas estabelecidas pela ANP para tornar mais seguro o manuseio e armazenamento do produto.


No Maranhão, existem 4 distribuidoras de botijão de gás autorizadas, a Ultragaz, Minasgás, Liquigás e a Nacional Gás Butano.


Por Maycon Alves