Barra de Pesquisa

sábado, 23 de agosto de 2014

Reviravolta na politica de Codó

Pai de Camilo Figueiredo deixa Lobão para apoiar Flávio Dino 

Lembrando que é neto de Henrique Tavares Figueiredo, o primeiro prefeito eleito de Codó, Biné, que mostrou força na última sexta-feira (15), lotando o campo de futebol que existe dentro de sua área residencial no Bairro São Benedito, foi direto nas palavras mais esperadas daquela noite, afinal todos queriam saber, inclusive seus aliados de primeira hora, à quem iria apoiar. Então ele começou.
“Quero agradecer as lideranças que  aqui se encontram e dizer – muito obrigado meus amigos, nós iremos juntos nessa eleição e em muitas outras eleições que virão”, iniciou
Continua...

Guardou um trecho de sua fala para Camilo Figueiredo destacando a parceria que teve com o filho quando estava a frente do poder Executivo Municipal.
“Todas as obras realizadas no nosso governo teve a mão, a ajuda a permissão de Deus e do deputado Camilo. Quantas viagens eu fiz junto com o deputado Camilo pra ir buscar recursos em Brasília, fazer obras, fazer benefícios para Codó? Quantas vezes, quantos dias nós percorremos as secretarias do governo do Estado para conseguir recurso e trazer para fazer obras em Codó? Quantas vezes nós procuramos um grande amigo meu e amigo do povo de Codó, o governador José Reinaldo, para ajudar o nosso Codó? quantas vezes eu e Camilo não fomos lá e trouxemos recursos da Prainha, recurso pro túnel, trouxemos recursos para a Almirante Tamandaré, para a 1º de Maio, mais de 1.100 kms de rede elétrica, quantas vezes nós procuramos isso em Brasília, trouxemos o SAMU, o CEO – Centro de Especialidades Odontológicas – CAPS e, enfim, muitas outras obras”, sustentou
SOBRE ROSEANA
Depois disso, passou, rapidamente, à falar de sucessão estadual. Voltou ao tempo em que rompeu com a família Sarney para se aliar à oposição, à época já sob a liderança maior de  Jackson Lago, afirmando que o fez porque “não conhecia trabalho feito pela governadora” Roseana no município de Codó. Desde então, Biné entende que seu filho Camilo Figueiredo vem, como ele mesmo disse, ‘pagando a conta que é dele” (do pai), ou seja, vem sendo perseguido politicamente.
“Essa conta é minha porque eu tive a ombridade e determinação de romper com o governo daquela época para eleger o nosso querido governador Jackson Lago, e  por que eu fiz isso? porque eu não conhecia trabalho feito pela governadora (Roseana) no nosso município. Eu não concordava, eu fui praticamente nascido na política junto com a família Sarney, mas eu amo mais a minha terra do que qualquer outra coisa, eu amo mais vocês, eu respeito muito mais vocês, então a minha decisão foi uma – vamos marchar juntos para melhorar Codó. Conseguimos vencer, mas até hoje o deputado Camilo paga essa conta”, disse
SOBRE LOBÃO E EDINHO
O gancho no queixo da governadora foi apenas para abrir  o cangapé mortal com três giros no ar que viria depois nas costas da família Lobão.
Biné alegou que muitas vezes levou o nome do senador e hoje ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, para as ruas e casas de Codó pedindo votos para elegê-lo. Apesar disso num momento crucial de sua vida política, a guerra no Tribunal Regional Eleitoral contra Zito no caso de cassação por conta de Abuso de Poder Econômico e de Comunicação da TV Codó, o filho do senador, o próprio Lobão Filho,  teria lhe virado as costas. 

Por Acélio trindade