Barra de Pesquisa

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Contadora de doleiro cita na PF nome de Roseana, João Abreu e procuradora Helena Haickel


A reportagem do Jornal Nacional da noite desta segunda-feira (11), colocou a governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB), o secretário Chefe da Casa Civil, João Abreu, a procuradora do estado, Helena Haickel no foco da Operação Lava-Jato, da Polícia Federal.

De acordo com a reportagem, a contadora Meire Poza do doleiro Alberto Yousseff – preso em São Luís por agentes da PF, revelou em depoimento na Polícia Federal o esquema do pagamentos de precatórios do Governo do Maranhão para Constran.

Ainda segundo a contadora, o doleiro foi contratado por 12 milhões no intuito de subornar o Governo do Maranhão com R$ 6 milhões para liberar R$ 120 milhões em precatórios da Constran. Ele desembarcou em São Luís como representante da Constran, participou de uma reunião em 10 de setembro do ano passado com João Abreu, Bringel, Maria da Graça Marques Cutrim e a procuradora do Estado Helena Maria Cavalcante Haickel.

Em seu depoimento na Polícia Federal, Meire revela que Yousseff era mentido sob pressão pelo governo Roseana para efetuar o pagamento do suborno. A contadora também falou que Adarico Negromonte, irmão do ex-ministro das Cidades, Mario Negromonte, foi ao Maranhão entregar R$ 300 mil reais que seria parte o acordo.

Ao receber as cifras, um assessor do Governo do Maranhão teria dito ao irmão do ex-ministro que o valor era pouco e teria que consultar a governadora Roseana Sarney.